quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Faz hoje um mês...


... que cheguei ao Japão, e aterrei em Yokohama. Parabéns Brito, ainda não deste em maluco nos 21,18m2! Não podia deixar de escrever um pequeno apontamento sobre este facto. Se me pedissem para descrever o que já vi e vivi, em poucas palavras diria:
a) O País: as dificulades enormes de comunicação, o civismo, a segurança, a organização, o choque de gerações... e as vénias!
b) As pessoas: muito simpáticas mas muito tímidas, nunca procuram a primeira abordagem, não existe contacto visual, o excessivo silêncio em todo o lado, o andar no lado errado da rua (sempre pela esquerda!), ... e os dentes tortos e feios!
c) As Japonesas: as mini-saias e os calções curtos, as "colegiais" iguais aos filmes, a dificuldade em andar de saltos altos (será por terem tido os pés atados tanto tempo?), os passos pequeninos, o andar com os joelhos para dentro e os pés para fora, a sua atitude resignada perante o lugar da mulher na sociedade...
d) Os Japoneses: muito machistas, sempre de fato escuro, fumam imenso (sobretudo em espaços fechados), ficam bastante alegres e encarnados a seguir a duas cervejas... serão alérgicos à cevada?
Mas estou a gostar muito e já suficientemente adaptado ao país. É fácil, até ver, viver aqui.

No entanto, a mentalidade, a forma de estar e de trabalhar é que é muito diferente...

Para quem tiver oportunidade (e curiosidade), saíu na última edição do "The Economist" um suplemento de 14 páginas sobre "Business In Japan" (sigam o link). Bastante interesante para quem tiver curiosidade em perceber como isto é tão diferente do resto do mundo...

3 comentários:

Maria, Mãe do Duarte e Afonso disse...

E viv'ó Ocidente!!!! Japonesas canejas, japoneses fracos das canetas, sem contacto olho/olho, etc, etc...
O que me agrada: a segurança, organização e civismo.
Aproveita! É sempre uma experiência de VIDA. E VIDA há só uma.

Antonio Rebordao disse...

As chinesas é que atavam os pés e penso que isso nunca fez parte da tradição Japonesa.

Abraços e que a diversão continue

Nuno disse...

Caro António,
Tem razão. Como ia todo lançado na escrita, lembrei-me deste "pequeno" pormenor que acrecentava alguma "pimenta" à história.
No entanto, isso de facto passou-se na China e não no japão. A acreditar na Wikipedia:
en.wikipedia.org/wiki/Foot_binding
Cumprimentos e talvez nos encontremos no próximo almoço para Portugueses em Tóquio,
/Nuno