segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

A solução para o novo Aeroporto!

Já que toda a gente opina sobre o novo aeroporto, também quero deixar aqui algumas considerações sobre este assunto, tão importante para a economia mundial...
Como sabem, o Japão é uma ilha pequena para uma população tão grande (cerca de 70%-80% do território não pode ser utilizado para habitação). São 120 milhões de pessoas concentradas em pouco espaço útil. Assim sendo, aqui o conceito de espaço é diferente... a minha mansão de 20,18m2 é uma prova viva dessa situação.
Além disso, 120 milhões de pessoas implicam muita gente a viajar, tanto em vôos domésticos como internacionais. Logo, por cá, também são precisos muitos e grandes aeroportos... mas não há espaço. Então como é que será que estes meninos resolvem o problema?
Simples, constroem os aeroportos na água!!! Sim, é verdade, constroem umas ilhas artificiais, e aí está a situação resolvida... fácil, não é? Mas mais paravras para quê... aqui fica o exemplo da construção de um aeroporto em Nagoya:

Neste momento já existem três ilhas deste género ("
Kansai International Airport", este novo aeroporto em Nagoya e o "Haneda airport") e está planeado mais um ("Kobe airport") para ser construido nas mesmas circunstâncias.
E ainda mais fantástico no meio disto tudo, é que conseguem manter o planeamento inicial, desde a data prevista para o término do projecto bem como o budget inicial! Fantástico... sobretudo para nós que estamos habituados a acabar as coisas no dobro do tempo e com o triplo do custo!
Alguém faz chegar isto ao Sócrates?

2 comentários:

LMVS71 disse...

Se em Portugal não se cumpre o prazo de execução, nem o orçamento, já sabemos bem de quem é a culpa...

Só pode ser do PM!!!

Atenção que este PM não é o da politica... é mesmo o outro(Project Manager). :D

Abraço,

Luis Santos

ShigueS disse...

Olá! Grande Blog, estou gostando muito dos seus textos. Eu desembarquei nesse aeroporto da foto faz 1 ano agora. Ainda estou por aqui e mesmo depois de todo esse tempo o Japão ainda me é uma terra estranha. Até mais!